A arte de duvidar

Osho dizia: "pra mim, a capacidade de duvidar é uma das maiores bençãos da humanidade".


De fato, se existe algo que define o animal humano e que de certa forma o distingue dos demais animais não humanos é a capacidade de duvidar.


A dúvida até mesmo distingue dois seres humanos pois a dúvida é um parâmetro de conhecimento. Você não duvida de algo sobre o que tem conhecimento.


A dúvida existe no desconhecido e poucas coisas são tão particulares de um individuo quanto o desconhecido. O meu desconhecido pode ser muito bem conhecido por outros e até mesmo ainda mais desconhecido para alguns. De fato uma pessoa pode muito bem ser definida não apenas pelo que sabe, mas talvez ainda mais pelo que não sabe.


A duvida, vestida da pureza e sinceridade de uma criança, é bela... enche os olhos, encanta o coração. Já mergulhada no ego poluído de um adulto, se torna feia e desprezível. E devidamente até recebe um outro nome. Preferimos chamá-la de arrogância.


Duvidar é então uma arte, que exprime a essência do artista. Revela o seu interior. A arte de duvidar.


Duvide sempre. A dúvida vai sempre lhe conduzir para novos caminhos. É exatamente onde você precisa estar. É o novo horizonte que precisa desbravar.

Deixa suas dúvidas lhe guiarem pela jornada da vida. Isso é, de fato, uma benção.


3 visualizações0 comentário

© 2020 by Tacc Webdesigners.